30 coisas que descobri após os 30

1 - Ganhar dinheiro é bom. Mas gastar com quem se ama é ainda melhor.


2 - Você descobre a diferença, a sutil diferença, entre ter amigos e ter colegas.

3 - Você percebe que tem mais dos seus pais em você do que você achava. Ou queria.

4 - Você se torna mais politizado.

5 - As pessoas podem até fingir que sim, mas a maioria não gosta de sinceridade. Sinceridade revela e  muitos preferem não enxergar.

6 - Você vai ser ferido por pessoas que ama e não há nada que você possa fazer quanto a isso.

7 - Você vai ferir pessoas que ama e não há nada que você possa fazer quanto a isso.

8 - As pessoas que se foram dessa vida vão te fazer falta pra sempre.

9 - Nem todo amor será pra sempre. O primeiro com certeza não será. Ele vai te ensinar a amadurecer pra próxima relação.

10 - As vezes dizer adeus não significa ser fraco. Significa ser sábio.

11 - Você pode morar em 1000 lugares do mundo, mas vai sempre sentir saudades do lugar onde estão suas raízes.

12 - Você se torna mais paciente, mas nem por isso mais idiota.

13 - Você chora por coisas bobas.

14 - Alguns filmes pareciam muito melhor no passado. E algumas músicas também.

15 - Se você ainda não tem, passa a querer ter filhos loucamente.

16 - Você vai transformar a vida de alguns.

17 - E alguns vão transformar a sua.

18 - Você vai perceber que sair é bom, mas passar um tempo na sua casinha, no seu espaço, na sua baguncinha, é mais gostoso.

19 - Seu animal de estimação se torna mais importante, pois você entende seu amor incondicional.

20 - Você descobre que aquele lugar pra onde se mudou, estava destinado a ser seu lugar preferido no mundo.

21 - Seus maiores segredos você não divide com ninguém.

22 - Amigos de verdade não te abandonam. Se o fazem, merecem ser esquecidos.

23 - Você vai ter uma biblioteca particular. E se não tiver, que pena.

24 - Você vai querer ousar, fazer coisas que nunca teve coragem. E tem que se dar essa chance!

25 - Você se pega rindo sozinho de coisas do passado e se pergunta onde estarão aquelas pessoas, uma vez que a vida nos leva por lugares diferentes.

26 - Você se torna mais observador. Aprende que você foi agraciado com dois ouvidos e uma boca por uma simples razão: ouvir mais e falar menos.

27 - Você encerra discussões dando razão ao outro, mesmo que você saiba que está certo, pois entende que ninguém muda o ponto de vista de ninguém.

28 - Você tenta ser justo em seu julgamentos e correto em suas escolhas.

29 - Você tenta apressar seus planos, pois percebe que o tempo corre mais rápido. O ano começa, logo já tem páscoa, feriados, aniversários e, de repente, já é natal de novo... O ano voou!

30 - Você descobre que Deus é aquele que, quando você chora, te dá a certeza dentro de você de que tudo vai melhorar.

10 filmes de animação que você precisa conhecer

Tem muita gente que adora dizer ser fã de filmes de animação, mas na verdade gosta do material produzido ou pela Disney ou Pixar ou Dreamworks. Eu era muito assim, mas fui pesquisando e me apaixonando pelas diversas formas de se contar uma história usando essa arte. E pra quem ainda pensa que esse é um gênero infantil, aqui vão algumas dicas que vão te fazer mudar de ideia.

Nessa lista, eu incluí alguns dos filmes de animação mais incríveis com os quais tive contato. Alguns deles são capazes de fazer até os mais fortes se emocionarem.

___ O GIGANTE DE FERRO ___
The Iron Giant, 1999

Um inspirado Brad Bird, em seu período pré-Pixar, dirige esse longa baseado em um conto de Ted Hughes. Nos anos 50, Hogarth, um menino que vive com sua mãe em uma cidade do interior, acaba fazendo amizade com um robô gigante vindo do espaço. Inicialmente uma máquina poderosa, pronta pra destruir se necessário, o gigante passa a ser alvo da busca do governo americano e sua incansável obsessão contra ataques inimigos. Cabe a Hogarth provar que sob todo aquele maquinário existe um coração e que o gigante não precisa destruir quando ele pode ser um herói.

___ O MÁGICO ___
The illusionist, 2010

Essa é a prova de que a animação é apenas uma maneira diferente de contar uma história e esse filme surge baseado numa ideia original de Jacques Tati, que ele pensava em dirigir antes de sua morte. Em um filme praticamente mudo, com uma trilha sonora melancólica, acompanhamos um velho mágico que vê sua profissão, outrora aclamada, deixar de encantar o público e resolve se mudar de Paris para Londres, apenas para encontrar o mesmo cenário. Mas conhecer a jovem Alice, em um pub, vai mudar sua vida. Ou o que restou dela.

___ AS BICICLETAS DE BELLEVILLE ___
Les Triplettes de Belleville, 2003

Sylvain Chomet, que depois dirigiria O Mágico, nos presenteia com essa trama recheada de uma animação cartunesca com um trilha sonora envolvente. Tudo gira em torno de Campeão, que, após a morte dos pais, vai morar com a sua avó que o motiva a seguir a carreira de ciclista. Quando resolve entrar no Tour de France, os ciclistas são sequestrados e Campeão consegue escapar, conseguindo abrigo juntos às Trigêmeas de Belleville, um grupo de cantoras de sucesso, agora idosas, que ajudam Campeão e sua avó, Madame Souza, a desbaratar o esquema dos ciclistas sequestrados.

___ AKIRA ___
Akira, 1988

Um grande filme de ficção científica, o filme teve lançamento nos grandes cinemas e enfrentou críticas por conta do alto teor de violência. Numa cidade chamada Neo-Tokyo, já que a original foi destruída na Terceira Guerra Mundial, um projeto secreto militar começa a fazer projetos com seres humanos, conferindo a alguns deles habilidades paranormais. Quando Tetsuo, membro de uma gangue, sai fora do controle e enlouquece, ele engrena numa onda de destruição que reaviva o medo dos habitantes da cidade.

___ GRAVE OF FIREFLIES ___
Hotaru no Haka, 1988

Prepare-se para a dor no coração que esse filme trará. Seita e Stsuko são irmãos estão enfrentando a Segunda Guerra Mundial como conseguem. Seu pai foi servir na marinha e sua mãe morreu num bombardeio... Eles só tem um ao outro e juntos vão lutar pela sobrevivência em um lugar assolado pela fome e pobreza, lidando com a dureza e falta de sensibilidade daqueles a sua volta. Comovente e trágico ao extremo.

___ O FANTÁSTICO MR. FOX ___
Fantastic Mr. Fox, 2009

Nessa comédia de Wes Anderson, usando animação Stop Motion, e usando vozes de astros como George Clooney e Meryl Streep, acompanhamos  Mr. Fox, sua família, e sua engenhosa empresa que rouba comida de fazendeiros ricos. Porém, quando os fazendeiros resolvem se vingar de Mr. Fox e seus amigos, eles vão descobrir da pior maneira que escolheram o grupo errado de animais pra enfrentar.

___ PERSEPOLIS ___
Persepolis, 2007

Seguindo o estilo em preto e branco de uma Graphic Novel, o filme segue Marjane que, em uma viagem de avião, relembra sua vida, desde sua infância em meio aos conflitos no Irã e as crises políticas, que vitimaram muitas pessoas conhecidas, passando por um colégio de freiras, uma fuga, doença e tentativas de suicídio... Tudo por Marji não conseguir aceitar o sistema opressor e sexista do lugar em que vive, mostrando sua luta para se impor como mulher e ser humano. Impossível não se envolver com a história de Marji, baseada em fatos reais.

___ PONYO ___
Ponyo, 2008

Hayao Miyazaki é um dos meus diretores de animação prediletos, não tendo um filme seu que eu não tenha amado. Eu podia falar de A Viagem de Chihiro, mas escolhi Ponyo por ser uma releitura de A Pequena Sereia. Sosuke, um menino que vive com sua mãe numa cidade costeira do Japão, resgata do mar um peixe dourado. O que ele não sabe é que esse peixe é na verdade uma princesa em fuga, que vai se tornando humana pouco a pouco, e que está sendo perseguida por seu pai, o rei dos mares, que usará todo seu poder para resgatar sua filha. Embarque nessa viagem recheada de uma animação de tirar o fôlego.

___ ERNEST E CELESTINE ___
Ernest et Celestine, 2012

Quando a ratinha Celestine resolve desafiar seu povo e subir a superfície, ela logo se torna presa fácil de predadores como Ursos. Porém, Celestine convence Ernest, um urso gigantesco, a se unir a ela na busca por um porão cheio de comida e desse acordo surge uma singela amizade. Mas eles percebem que nem todos são capazes de enxergar a verdadeira amizade entre seres tão diferentes.

___ THE WIND RISES ___
Kaze Tachinu, 2013

Escolhi esse por ser o último filme de Miyazaki, já que ano passado ele anunciou sua aposentadoria (Vou falar sobre ele no futuro). Nesse longa, o de maior sucesso entre as animações no Japão, o diretor conta a história real de Jiro Horikoshi, o homem que desenvolveu aviões para a Segunda Guerra Mundial. Com uma animação rica e sem defeitos, acompanhamos a vida de Jiro, com seus amores, suas perdas e seus sucessos, no melhor estilo Miyazaki de contar uma história: tocando no coração.

Mystery Incorporated - A melhor série do Scooby-Doo já feita!


Scooby-Doo sempre foi minha franquia de desenhos animados preferida. A junção de mistérios e humor envolvendo Scooby, Salsicha, Daphne, Fred e Velma me divertiam muito. Eram os desenhos com a turma que eu gostava, achava que os cinco se completavam. Detestava certas adições como Scooby-Loo e o moleque Flin-Flan, mas ainda ainda assim assistia.

Recentemente soube que havia uma nova série da turma disponível no NETFLIX chamada MYSTERY INCORPORATED. Mesmo não curtindo muito a forma como foi desenhada, resolvi assistir o primeiro episódio. E foi quando eu me apaixonei. Trata-se de um Reboot da série, onde os personagens deixam de ser mais caricaturais em suas personalidades e ganham emoções verdadeiramente humanas. Com uma conexão com a realidade, o lado pessoal da turma ganha destaque quando as tramas exploram seus conflitos pessoais e suas relações com suas famílias (que aqui realmente são personagens importantes pra trama), vizinhos e amigos de escola.


Os mistérios aqui não são gratuitos: eles existem por um  motivo e todos parecem de alguma forma estarem ligados a um mistério ainda maior envolvendo o passado de Crystal Cove, a cidade onde vivem. Crystal Cove tem fama de ser a cidade mais assombrada dos EUA e todos os cidadãos, com exceção da Mystery Incorporated, se beneficiam dessa fama e detestam quando seus vilões são desmascarados pelos "garotos intrometidos e seu cão". A série tem iinfluência de clássicos do terror, com claras referências à filmes e trabalhos de autores como H. P. Lovecraft e Stephen King.

Uma diferença quanto as séries anteriores (exceção, é claro, de Os 13 Fantasmas de Scooby Doo), é que, apesar dos episódios serem distintos, estão todos interligados. Fruto de um roteiro bem escrito, que se beneficia da rica e estilizada animação para alcançar seu objetivo de conduzir aos desfechos inesperados da Primeira e Segunda temporada. O humor ainda está lá, latente, mas dessa vez a turma tem que lidar com cobranças de suas famílias, perdas, assassinatos, além de uma trama um tanto obscura sobre a primeira formação da Mystery Incorporated, que desapareceu sem rastros 20 anos antes.

A série é um triunfo, apresentada em 52 episódios, divididos em duas temporadas, e está completamente disponibilizada no NETFLIX ou em DVD para colecionadores. Dê uma chance ao reinicio da turma; Você não vai se arrepender. Ainda mais se tiver olhos clínico para sacar os diversos  Easter Eggs, com personagens clássicos Hanna Barbera, escondidos como moradores de Crystal Cove.


PRINCIPAIS MUDANÇAS NOS PERSONAGENS

SCOOBY-DOO

Mais falante do que no original, Scooby continua fiel à Salsicha, mas agora tem mais acessos de coragem do que em séries anteriores. Na segunda temporada até ganha uma namorada, a cocker spaniel Nova.

NORVILE "SALSICHA" ROGERS 

Continua sendo o hippie deslocado com apetite descontrolado, mas Salsicha agora consegue balançar o coração das meninas e tem uma relação conturbada com Velma. Seus pais não acham sadio o tempo que ele passa com sua turma. Uma curiosidade: Matthew Lillard, que viveu Salsicha nas versões do cinema, dubla o personagem com maestria aqui.

VELMA DINKLEY

Com uma mãe esotérica, tomando conta do principal museu de mistérios da cidade, Velma se sente mais compelida a provar que todo o chamado mundo sobrenatural é uma farsa e que há explicações científicas pra tudo. Apaixonada por Salsicha na primeira temporada, ela tenta, em vão, conquistar o coração do rapaz.

DAPHNE BLAKE

A menina rica e popular de Crystal Cove vive à sombra de suas irmãs bem sucedidas enquanto os pais vêem nela a última chance de ter uma filha casada com um homem rico e influente. Por isso desaprovam os amigos de Daphne e sua paixão por Fred. Mesmo contra tudo, ela está empenhada em mostrar seu valor e ficar com aquele que ama.

FRED JONES

O personagem melhor explorado na série, Fred é o filho do prefeito e tem uma certa obsessão por armadilhas. Como líder do grupo, ele gosta de estar no meio do perigo e testar suas novas invenções para capturar os "monstros". Isso deixa seu pai irritado, que cobra do filho um posicionamento maior em ajudar a cidade a manter sua fama. No início, ele foge das investidas de Daphne, mas logo se rende aos encantos da ruiva.

Abertura da série


Nova York: Afinal, qual a melhor vizinhança?

Vamos lá, quando alguém diz que veio a Nova York está claramente se referindo à Manhattan. Muita gente pensa que Nova York se restringe à ilha e nem sabe que na verdade é um estado imenso, populoso, que faz, inclusive, fronteira com o Canadá. As famosas Cataratas do Niágara, por exemplo, em sua parte americana, se localizam em Nova York.

Mapa do estado de Nova York. Manhattan é tão ínfima, que mal a vemos no mapa.
Quando a maioria se refere à Nova York, ela quer dizer Cidade de Nova York. Outro erro comum: A Cidade de Nova York não é apenas Manhattan, mas uma integração das vizinhanças (Boroughs) Brooklyn, Queens, Staten Island, Bronx, além, é claro, da própria ilha. Há uma disputa interna dos moradores de New York City que defendem sua área como a melhor de se viver. Vamos analisar um pouquinho de cada lugar.

___ STATEN ISLAND ___

O velho farol... Uma das muitas belezas locais
Ok, perto das outras vizinhanças essa aqui é quase rural. Mas é justamente esse seu charme. As casas são bonitas, muitas vitorianas, e o aluguel é muito acessível. Muitos músicos escolhem Staten Island como seu refúgio pela paz que o lugar representa. Os restaurantes, além de mais baratos, representam cozinhas de vários lugares do mundo. Tem um cemitério de navios assustador e é uma região que preserva sua História. E fica perto o suficiente de Manhattan. Basta pegar a balsa, que passa perto da Estátua da Liberdade, e em 15 minutos você está lá. O melhor de tudo: de graça!

___ THE BRONX ___

Um dos muito muros gravitados
A vizinhança mais cercada de preconceitos talvez seja o Bronx, por causa de seu passado violento. Mas o lugar que foi berço da cultura Hip-hop tem muito mais a oferecer. Tem o Bronx Museum, tem o lindíssimo Jardim Botânico, o imenso Zoológico, o famoso estádio do Yankees, muitos pontos históricos e lugares de lazer. Certo, durante a noite recomenda-se muita atenção nas ruas e algumas áreas ainda são violentas, mas... Sempre se tem a luz do dia, não é mesmo? Não sei se eu moraria aqui, mas tenho amigos que moram e não trocam o Bronx por nada.

___ BROOKLYN ___

Uma foto tirada na região de Dumbo
Sim, o Brooklyn é imenso e esqueça o que os filmes te vendem: tem mais áreas bonitas e seguras na vizinhança do que parece. Nem tudo é a suja Bed-Stuy, mas recomenda-se saber andar, pois, uma rua errada pode te colocar dentro da região errada. Não que farão algo contra você, mas virão, com certeza, te oferecer algo ilegal. Bom, mas o Brooklyn na verdade é o paraíso de escritores que fazem de Williamsburg ou Dumbo seus refúgios. Aliás, essas áreas super valorizaram nos últimos anos e estão mais caras que Manhattan. Já falei sobre Coney Island aqui anteriormente também. As casas tem arquiteturas lindas, os bairros oferecem restaurantes aconchegantes e é o bairro com mais paradas de metrô. Passear no Brooklyn Bridge Park, logo abaixo da ponte, é uma experiência que eu recomendo a todos os visitantes. Um picnic visualizando o skyline de Manhattan não tem preço. Eu moraria em Dumbo fácil, fácil...

___ QUEENS ___

Vista do Astoria Park no outono... como não amar?
Meu lugar. Moro em Astoria, na área dos Muçulmanos, e não sei se gostaria de me mudar daqui. Gosto da vizinhança, dos parques, da vista que tenho de Manhattan da minha sacada, de estar perto e longe o suficiente de lá. Tenho metrô, restaurantes, cinemas e museus bem perto, num lugar sossegado. Temos o Parque da Unisfera, onde aconteceu a famosa feira de 1969, temos o Museu da Imagem, que é incrível para cinéfilos como eu... Um parque de esculturas ao ar livre com exibição de filmes em telão durante o verão e que fica lindo coberto da neve do inverno... Pra ser sincero, o único ponto negativo que vejo é o sistema do metrô que às vezes interrompe seu trajeto pra cá. Fora isso, amo muito a vizinhança.

___ MANHATTAN ___

Flatiron Building, diante do Madison Square Park
Super estimada pra mim, cheia de turistas o tempo todo. Caminhar na cidade às vezes é uma prova de paciência, mas eu entendo porquê os turistas acham, erroneamente,  que essa é única New York que vale a pena. Aqui estão marcos como Empire State Building, Times Square, Grand Central Station, Central park, onde estão os shows da Broadway, os Museus principais, as ruas famosas, bairros charmosos como SoHo e Chelsea e... Ok, eu me rendo! Não é tão superestimada assim, mas eu nunca moraria aqui já que pelo preço que eu moro no Queens, num espaçoso apartamento, eu moraria numa pocilga só pelo fútil privilégio de morar em Manhattan.

Resumo da história, quando vir à Nova York, reserve alguns dias para sair de Manhattan e conhecer as áreas vizinhas. Garanto que não vai se arrepender e vai ter uma New York Experience mais rica! ;)

Jersey Boys - Da Broadway para os Cinemas

Poster original do musical na Broadway

Você pode até dizer que não vai assistir Jersey Boys no cinema por não gostar de musicais. Porém, estou aqui pra te dar um motivo superior a qualquer argumento: é um filme dirigido por Clint Eastwood!

Bom, vamos do começo. Jersey Boys eu assisti em Nova York na minha primeira viagem e se tornou o meu número 4 na lista de musicais preferidos. Não que eu fosse fã do Frankie Valli e dos Four Seasons. Na verdade, até então, só conhecia uma música deles. Ou achava que só conhecia uma. Durante o espetáculo, o elenco quebra a chamada "quarta parede'' e conversa com o público, contando como uma grupo de golpistas de New Jersey formou um grupo que se tornou sucesso nos anos 60, alavancado pela voz sui generis de Valli. O sucesso dos meninos, que chegaram a competir com os Beatles em popularidade, transformou, além de Valli, Tommy De Vitto, Bob Gaudio e Nicky Massi em nomes conhecidos na América. Apesar de contar como o grupo nasceu, o espetáculo não tem muito tempo para os detalhes. E o filme, apesar de oferecer mais informações, também peca nesse sentido.


O musical de Eastwood não vai oferecer uma cinebiografia detalhada do Four Season e também vai pecar por focar mais nos dramas pessoais de Valli do que dos demais integrantes, mas levemos em conta que décadas de sucesso dificilmente seriam transpostos em detalhes em pouco mais de duas horas de filme. Vemos um apanhado geral da carreira do grupo, desde do começo difícil nas comunidades menos abastadas de New Jersey até o estrelato, assim como os embates pessoais que levaram o grupo a perder alguns de seus integrantes originais.


Eastwood sabe como ninguém contar um boa história no cinema. Sabe deixar o piegas de lado e equilibrar bem os momentos de drama e os alívios cômicos. Seus filmes nunca deixam o espectador "perdido" e cada detalhe (figurino, cenários...) colabora para que embarquemos em sua viagem. Porém, o maior mérito do filme é sua música e o diretor soube equilibrar o uso delas para que não ficasse aquele exagero que acontece em muitos musicais, onde o ator mal abre a boca e já sai cantoria. Aqui a cantoria não é gratuita e nem tira a força dos diálogos de Marshall Brickman.

John Lloyd Young como Frankie Valli
Aliás, um dos grandes trunfos do filme é justamente o trabalhos dos diálogos e a interação entre os atores, que acontece com mais intensidade do que na sua versão Broadway. Christopher Walken empresta charme ao seu mafioso Gyp De Carlo, dando dignidade a um papel que praticamente não existia nos palcos. John Lloyd Young foi uma aposta acertada do diretor, pois pegar um ator da Broadway, desconhecido do grande público, e colocá-lo como protagonista de um filme Hollywoodiano é um grande risco. Todavia Young é mais intenso e carismático aqui do que quando interpretou Valli no teatro e seus embates com Tommy, interpretado pelo excelente Vincent Piazza, mostram o quanto ambos tem potencial para chegar longe em suas carreiras no cinema.

Estaria mentindo se eu falasse que se trata de um dos melhores filmes de Eastwood. Não é. Tampouco é um dos seus piores. É um filme mediano, mas que diverte e leva o público mais jovem a conhecer um dos grupos de maior sucesso na História da música. E, acredite, você vai se surpreender por conhecer mais canções do que acha que conhece!


Melhor de Nova York: Coney Island



Verão chegando e Nova York pega fogo! É um dos verões mais quentes nos quais já estive em toda minha vida. E uma cidade completamente diferente da que o turista vê, se ele já esteve aqui antes durante o inverno. Uma das opções é Coney Island.

Sim, sim... A praia é uma merda. Só serve mesmo para o banho de sol e olha lá. Alguns corajosos se aventuram na água, mas eu não sou um deles. Pra ir a praia eu ainda prefiro a Jersey Shore, onde as praias são mais aprazíveis.  Mas, o tópico é Coney Island e esse lugar oferece um dia inteiro de diversão para os turistas e locais. Por que?

1 - É a casa do concurso anual de comer hot dogs


Um concurso besta, mas super divertido de se observar. Os competidores brigam pelo posto de maior comedores de hot dogs, promovido pelo NATHAN'S (os melhores hot dogs, sem dúvidas). Porém, eu queria vê-los conseguir o mesmo feito com os podrões cariocas! :)

2 - É onde está o Luna Park


Sabe aquele parque de diversões à beira mar, estilo anos 60, com carrossel, roda gigante, carrinho bate-bate, algodão doce e circo que tanto se vê nos filmes? Pois bem, é aqui. Acredite, os adultos se divertem tanto, ou mais, que as crianças!!!

3 - É onde estão Thunderbolt e Cyclone



As duas montanhas russas já são símbolos, e patrimônios de Nova York. A primeira acabou de ser reinaugurada e tem loopings deliciosos. A segunda é um marco e, ainda por cima, é de madeira!!! Montanhas russas de madeira são tudo de bom!!!

4 - O boardwalk é show




De um lado o mar, do outro o Luna Park e, no meio, um calçadão de maneira com lanchonetes e lojas de sorvetes caseiros deliciosos. Diferente do Brasil, mesmo sendo na praia, os preços não são nada abusivos.

É no calçadão que acontecem os shows gratuitos do verão, exibição de filmes ao ar livre e, toda sexta-feira, uma queima de fogos de encher os olhos. Vale a pena!!!

5 - O Mermaid Parade é mega divertido



Acontece uma vez por ano, anunciando a chegada do verão e é muito divertido, e engraçado, ver os desfiles e as fantasias. Muita música e muito agito, numa festa onde todos são convidados a libertar seu lado divertido e despreocupado. Não se choquem com as mulheres de peito de fora... Em Nova York isso não é ilegal, então todas se divertem sem camisa...

Esse ano Dante e Chiara De Blasio, filhos do prefeito, serão o rei e rainha do evento!!! ;)

6 - É onde está o principal aquário da cidade


Mas eu ainda recomendo a visita apenas no ano que vem. O New York Aquarium está passando por reformas, portanto, animais como baleias e tubarões só voltarão a estar disponíveis ano que vem. Por enquanto, apenas peixes, pinguins, leões marinhos e focas estão por lá. Tem uns shows diários e um cinema 4D bem divertido.

Viu como, mesmo que você não tome banho de mar, você pode ter um dia muito divertido em Coney Island. Então, ponha na sua lista de férias. Não vai se arrepender!!! Não se esqueça de antes entrar no site oficial (www.coneyisland.com) para ver a programação oficial. Tem sempre muita coisa acontecendo por aqui! Como eles mesmo adoram dizer, não há um dia monótono em Coney Island! ;)

COMO CHEGAR: Linhas N e Q do metrô são as mais rápidas e ligam Queens a Coney Island em mais ou menos uma hora.

Menos Brasileiro que você? Por que?


As pessoas me perguntam sobre o porquê de eu ser contra a Copa do Mundo. Eu digo que há uma diferença muito grande em ser contra e ser indiferente. Eu apenas sou indiferente. Não consigo me identificar com o esporte, nunca achei graça. Já tentei, juro que já tentei, mas simplesmente não embarquei na onda e na empolgação que a maioria das pessoas embarca. E creio que ficar me forçando a fazer algo que eu não curto é um desperdício do meu tempo. Pra que? Só pra agradar aos outros? Eu posso agradar em outros momentos, em outras oportunidades, sendo eu mesmo.

Desfiles de escola de Samba também nunca foram muito minha onda. Eu sei que a maioria dos gays curte carnaval de montão, mas eu nunca curti. Eu gostava do feriado, de sair pra beijar na boca e curtir com os amigos. Mas nem isso tem me atraído mais. Pra mim desfile de escola de Samba todo ano é a mesma coisa e não tente me fazer mudar de opinião: já perdi até um namorado por conta disso. Acho que o Carnaval de rua ultimamente tem sido usado como desculpa pra beber e fazer bagunça exacerbada nas ruas, com uma total falta de respeito ao próximo e aos bens públicos. Fora os roubos e sujeira que ficam pelo caminho.

O que me diverte mesmo é viajar, conhecer lugares e pessoas diferentes. Fazer amigos em toda parte. Adoro assistir premiações de entretenimento como o Oscar, Grammy, Emmy e Tony. Gosto de ir a shows de artistas que admiro. Adoro assistir jogos de Voleibol e, sim, torço pelo Brasil sempre!!! Acho a melhor seleção em quadra! Esportes radicais como Skateboard, Surf e Rollerblading também têm minha atenção sempre. Troco noitadas por um bom livro ou um bom filme na TV... Assisto novelas também (algo gay tem que ficar - Além de ser um vício bem brasileiro). Sempre fui assim. Não mudei meus gosto por influência da cultura americana.

Quando pequeno eu sempre fui uma criança que lia muito. Muito mesmo. Eu não ouvia pagode como meus primos, não sabia dançar, nem jogava futebol na rua, mas me orgulho de ter lido todo o acervo da Biblioteca da Escola Municipal Finlândia! Monteiro Lobato foi minha primeira obsessão literária. Se a dona Marisa Abrantes, então bibliotecária, ainda estiver por lá vai poder confirmar isso. Era meu lugar preferido na escola. E não pense que eu eu era um aluno nerd de boas notas: eu era arteiro ao extremo, ostentava meus Cs com orgulho e guardo até hoje uma anotação do meu professor de Português, Jorge, que dizia "haja o que houver, não pare de escrever". E não parei! Acho que ele nunca saberá o quanto me inspirou.

Eu sou brasileiro e amo meu país. Como não amar o lugar onde estão minhas melhores lembranças? Adoro o Rio de Janeiro, com todos seus contrastes culturais (poderia ser uma cidade bem melhor, mas até Nova York poderia ser melhor). Só não gosto do que os meus governantes fazem pela nossa pátria e o que alguns brasileiros fazem contra o próprio país onde vivem. É fácil culpar a política por tudo, mas se você não faz sua parte como pode exigir que o outro, mesmo que o outro seja o Presidente, faça a sua? Já discuti muito, já perdi amigos por conta da minha visão e da forma como me expresso. Hoje em dia não faço mais. Tenho meu blog pra expor o que acho e o que sinto.

Esse post foi pra dizer que, mesmo não gostando de Futebol, nem de Carnaval, nem de pagode, eu não sou menos brasileiro do que qualquer um. Sou brasileiro, tenho orgulho disso, não mudaria isso por nada... Apenas tenho gostos diferentes, ideias diferentes, e quero ser respeitado por isso :-) Como respeito os outros. Não pense que o fato de eu discutir, defender meus pontos de vista, é falta de respeito: Uma discussão saudável, sem violência, faz muito bem pra ambas as partes.